Salto alto causa varizes?

salto alto, varizes, cirurgia vascular, são paulo


O salto alto é sem dúvida uma unanimidade entre as mulheres. Deixa a silhueta da mulher elegante, as pernas com aparência de mais torneadas e as baixinhas com mais altura. Mas será que isso causa ou piora as varizes nas pernas?

A maioria das pessoas, inclusive os médicos, acreditam que o salto alto provavelmente piora as varizes porque seu uso influencia no mais importante mecanismo que impulsiona o sangue de volta para o coração: a bomba muscular da panturrilha. Já falei um pouco sobre isso no artigo: Por que tenho varizes? mas vou detalhar melhor agora.
panturilha, varizes, cirurgia vascular, são paulo
As veias das pernas são dividas em dois grupos: as veias profundas, que passam por dentro da musculatura, e as veias superficiais, que passam dentro da gordura que fica logo abaixo da pele. Esses dois sistemas são interligados por veias perfurantes. Todas essas veias tem válvulas em seu interior que permitem que o sangue ande em apenas um sentido: somente para cima, em direção ao coração.
Quando contraímos a musculatura da panturrilha, isso espreme as veias profundas (especialmente as veias sinusóides que se encontram entremeadas nas células musculares dos músculos soleares e gastrocnêmios). Isso faz com que o sangue seja impulsionado para cima, uma vez que as válvulas impedem que ele volte em direção ao pé.
 Essa bomba é acionada pela contração e relaxamento da panturrilha, através da movimentação da articulação do tornozelo.  Quando usamos salto alto, a movimentação do tornozelo fica restrita e por isso não ocorre de forma adequada o relaxamento da musculatura da panturrilha. Mas será que isso a longo prazo pode causar varizes?
varizes, panturilha, cirurgia vascular, são pauloNão há muitos estudos científicos sobre este tema. Os dois mais relevantes foram publicados por pesquisadores brasileiros.
O primeiro deles foi feito por cirurgiões vasculares da UNICAMP e foi publicado em 2006 (leia mais aqui). Foi feito com 10 mulheres  que andaram na esteira usando salto e descalças, sendo medida a pressão que a musculatura da panturrilha exercia. Este estudo concluiu que andar com salto alto aumenta a diferença entre a pressão exercida pela musculatura o que resulta em uma pressão venosa menor. Em outras palavras: o salto alto foi considerado benéfico. Isso mesmo meninas: nesse estudo foi visto que era melhor para a circulação da perna andar de salto do que descalça!
Mas não se animem demais....
O segundo estudo foi desenvolvido por pesquisadores da USP de Ribeirão Preto e foi publicado ano passado no Journal of Vascular Surgery, a principal revista científica de Cirurgia Vascular no mundo (leia mais aqui). Foi realizada a medida das pressões da musculatura da panturilha e do sangue nas veias das pernas de 30 mulheres: usando salto agulha de 7 cm, salto plataforma de 7 cm, salto baixo de 3,5 cm e descalças, enquanto faziam exercício de ficar na ponta do pé.
Dessa vez, os pesquisadores mostraram que a ejeção do sangue pela ação da musculatura é pior nas mulheres que usavam salto 7, em especial, nas que estavam usando plataforma. Ou seja: o salto alto prejudica a circulação do sangue venoso nas pernas.

Conclusão

Não há um consenso na literatura científica se o salto alto é ou não prejudicial à circulação venosa das pernas.
O fato é que realmente parece que o salto alto limita a movimentação da panturrilha o que provavelmente deve mesmo diminuir a capacidade de bombeamento do sangue através das veias.
Mas isso não é suficiente para dizer que o salto pode causar ou piorar as varizes.
Entretanto, existem outras doenças relacionadas com o uso de salto alto como dores crônicas na coluna lombar, dores nos pés, joanetes e encurtamento dos tendões do tornozelo.

Portanto mulherada:  o salto está liberado, mas com moderação.

Até semana que vem!




Dra Juliana Puggina - Cirurgia Vascular - CRM/SP 134.963
Sobre a autora
Dra. Juliana Puggina é médica cirurgiã vascular e escreve artigos informativos no blog 'Pernas pra que te quero'. Formada em Medicina pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com residência médica em Cirurgia Vascular e Endovascular pela Universidade de São Paulo (USP). Membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular e do American College of Phlebology.

Clínica Essenza
Rua Oscar Freire 2250 cj 101 e 102 -Jd. América - São Paulo/SP

Entre em contato:
Telefone 11 3061-3892
Whatsapp 11 97479 2250




Postar um comentário