Cirurgia para varizes: saiba como é feita passo-a-passo

Saiba como é feita a cirurgia de varizes

A cirurgia para retirada de varizes é realizada desde o início do século passado e ao longo dos anos a técnica foi aprimorada e, neste artigo, vou detalhar os passos da cirurgia como ela é realizada nos dias de hoje. Vou falar somente sobre os passos da cirurgia tradicional, a safenectomia e a retirada de varizes colaterais. A maioria dessas etapas não vale para as cirurgias com laser e radiofrequência.

Preparação para cirurgia de varizes

Após a indicação da cirurgia, o médico Cirurgião Vascular irá solicitar exames pré operatórios, de acordo com sua idade e condição de saúde. Pode também ser necessária a avaliação de um médico cardiologista para avaliação do risco cirúrgico em alguns casos. Isso somente precisa ser realizado quando a pessoa a ser operada tem algum problema de saúde mais sério. 
Se estiver tudo bem e a pessoa estiver apta para a cirurgia, a cirurgia é agendada. Ela deve ser realizada em um hospital ou clínica que tenha estrutura suficiente para cuidar do paciente se, por acaso, alguma
complicação acontecer.
Geralmente, a pessoa é internada no mesmo dia da cirurgia e, o tempo que ela vai permanecer internada depende do tamanho da cirurgia e da anestesia que precisará ser realizada. Pode variar de alta no mesmo dia da cirurgia, nas cirurgias menores realizadas com anestesia local, até alguns dias, quando ocorre alguma complicação.
A avaliação pré operatória é importante para a cirurgia de varizes
Antes da cirurgia, o médico irá realizar a marcação das varizes com uma caneta hidrográfica com a pessoa em pé, porque assim as varizes se tornam mais aparentes e diminui a possibilidade de alguma veia não ser retirada na cirurgia. Alguns médicos utilizam aparelhos de iluminação e até ultrassom para marcar as varizes antes da cirurgia. Essa prática aumenta ainda mais o sucesso da cirurgia. 


Anestesia para cirurgia de varizes

Já falei um pouco sobre esse assunto no post 'Como tratar varizes nas pernas?', mas vou recordar alguns princípios da anestesia na cirurgia para varizes. 
Quando a cirurgia envolve a retirada de apenas algumas veias colaterais e as safenas não precisam ser retiradas, a anestesia pode ser local. Neste caso, é realizada uma injeção de anestésico no local onde será feito cada pequeno corte na perna para a retirada da veia.
Já quando existem várias veias para serem extirpadas ou quando é necessário realizar a safenectomia (retirada da veia safena), a anestesia precisa ser a anestesia raquidiana (aquela feita nas costas, como aquela que é realizada no parto) ou a anestesia geral
Depois da anestesia, o médico irá realizar a antissepsia e começar a cirurgia.

 A cirurgia para varizes passo-a-passo


Se a veia safena não estiver doente, a cirurgia de retirada das varizes vai consistir na realização de incisões bem pequenas, menores do que 0,5 cm, próximo às marcações das varizes. Através dessas incisões, o cirurgião irá puxar a veia com um instrumento parecido com uma agulha de crochê. Depois de "pescar" a veia, ele irá puxá-la com delicadeza usando uma pinça, tentando retirar toda a veia sem quebrá-la. Uma a uma, as veias são retiradas. A maioria das vezes a cirurgia termina após a retirada de todas as veias.
A ressecção de varizes colaterais é feita com microincisões na pele
Mas, alguma vezes, é necessário retirar a veia safena interna (ou magna)  ou a veia safena externa (ou parva). Vou detalhar a técnica de retirada da veia safena interna, por ser mais comum.
A retirada da safena começa com um corte na pele da virilha. Através da dissecção da gordura que há embaixo da pele, o cirurgião acha a veia safena. Neste momento, o médico precisará separar a veia safena da veia femoral, desconectando os sistemas venosos profundo e superficial (expliquei mais detalhes sobre os sitemas venoso profundo e superficial no post 'Salto alto causa varizes?'). Nesse passo, é importante que o cirurgião amarre bem o pedacinho da veia safena remanescente, para que não haja um sangramento grave.
A safenectomia começa com a separação das veias safena e femoral
A etapa seguinte consiste em encontrar a veia safena próximo do pé. A veia passa exatamente à frente do ossinho do tornozelo (maléolo). É feito um pequeno corte no local e a veia é logo encontrada. Em seguida, através de uma abertura na veia, é passado um fio grosso e comprido, feito de plástico ou metal, chamado fleboextrator. Ele é passado através de toda a veia, alcançando a região da virilha.

A veia safena é retirada com um aparelho que chama-se fleboextrator, que pode ser de metal ou plástico

O fleboextrator é passado por dentro de toda a veia safena e depois tracionado, retirando a veia.

Após sua passagem, o fleboextrator é amarrado firmemente na veia e puxado com força para uma das direções, literalmente arrancando a veia de dentro da perna. Após a retirada da veia, é feita uma compressão no local por onde a veia passava para evitar o acúmulo de sangue. Essa compressão é feita por alguns minutos. A retirada da veia é sempre a ultima coisa a ser feita na cirurgia, antes de realizar o fechamento da pele e o curativo compressivo por conta da necessidade de compressão do local.
O fechamento das incisões é feito com pontos nas camadas de gordura e na pele.

Curativo da cirurgia de varizes


O curativo da cirurgia de varizes é feito com pequenos pedaços de fita adesiva que fecham os orifícios de retirada das veias colaterais. Além disso, é realizado o enfaxaimento das pernas para evitar o sangramento pelos orifícios e principalmente, o acúmulo de sangue por baixo da pele formando hematomas. O curativo é mantido pelo menos durante o dia da cirurgia, mas geralmente é retirado apenas no dia seguinte.

Pós operatório da cirurgia de varizes

A pessoa que faz cirurgia de varizes recebe nos dias subseqüentes à cirurgia medicamentos para dor e às vezes anti-inflamatórios. Também é recomendado repouso com as pernas para cima, com retorno gradual à caminhada, de acordo com as orientações do médico que realizou a cirurgia. Alguns médicos também indicam a utilização de meias elásticas de compressão. É muito importante que a pessoa siga as recomendações do seu cirurgião porque cada caso é um caso e para cada caso há uma recomendação.

Esse é o método tradicional e mais utilizado no Brasil para tratamento das varizes. Existem técnicas mais recentes, como o laser e a radiofrequência, que têm a mesma efetividade da cirurgia convencional, com a vantagem de oferecer uma recuperação mais rápida. Muitos convênios e o Sistema Único de Saúde (SUS) não cobrem as técnicas mais recentes e é por isso que a cirurgia tradicional ainda é muito realizada no nosso país. 
Gostaria ainda de ressaltar que existem médicos que utilizam formas diferentes das descritas neste artigo para retirada das veias (essa que foi descrita não é a única que existe!). É muito importante que você converse com seu médico sobre cada detalhe da cirurgia antes de ser operado e tire todas as suas dúvidas. 
Uma boa semana a todos os leitores!
Em caso de dúvidas me escrevam! Terei prazer em respondê-las!









Dra Juliana Puggina - Cirurgia Vascular - CRM/SP 134.963
Sobre a autora
Dra. Juliana Puggina é médica e escreve artigos informativos semanalmente no blog 'Pernas pra que te quero'. Formada em medicina pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) em especialização em Cirurgia Vascular e Endovascular pela Universidade de São Paulo (USP).

Facebook - Twitter - Google Plus - LinkedIn

0 comentários: