Eu quero parar de fumar, o que devo fazer?

O cigarro é um dos maiores vilões da saúde dos seres humanos, sendo responsável por diversos tipos de câncer, por acelerar o envelhecimento da pele e dos órgãos e por deteriorar os vasos sangüíneos, levando ao acúmulo de placas de gordura e aparecimento de doenças como o infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e obstrução das artérias das pernas, além de contribuir para as alterações da coagulação que levam ao aparecimento da trombose venosa profunda.
Grande parte das doenças vasculares são relacionadas diretamente ao hábito de fumar e a cessação do tabagismo é uma medida essencial ao tratamento dos doentes.
Todos os dias na televisão, rádio e internet nos deparamos com artigos e reportagens sobre os malefícios do cigarro, porém, mesmo sabendo do mal que ele causa, muitas pessoas permanecem fumando.
Mas não se desespere: parar de fumar é um processo difícil, mas não impossível !
Pensando em você que deseja acabar com esse vício e ter uma vida mais saudável, convidei a Dra. Alessandra Santiago, psicóloga do serviço de Cirurgia Vascular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP para dar dicas sobre esse tema.
Espero que gostem do texto!

Dra Juliana Puggina

Você quer parar de fumar? Aprenda como!


_______________________________________________________________________________

Eu quero parar de fumar Doutor, o que devo fazer?


O primeiro passo, para cessar o hábito de fumar é, sem dúvida, a disposição e motivação em deixar o vício. No entanto, a maioria da população fumante pensa em procurar ajuda quando, algum problema de saúde é sinalizado, e muitas vezes a gravidade impõe ao doente essa necessidade, que nem sempre condiz com sua vontade. O que fazer?
Nosso dever, como profissionais de saúde, é sempre informar, orientar e incentivar o indivíduo a “para de fumar”, mesmo que não seja de sua vontade, ele precisa ter acesso às informações e fatores de risco para sua saúde.
Fumar é prejudicial á saúde e, por isso inúmeras campanhas do Ministério da Saúde são realizadas para informar, orientar e educar, crianças, jovens e adultos sobre os danos do cigarro. Atualmente, as campanhas do governo têm sido acirradas, e leis que impedem fumar em locais fechados, impedem também o tabagismo passivo (aquele em que a pessoa inala a fumaça que o outro fuma).
O Ministério da Saúde realiza diversas campanhas para divulgar os malefícios do cigarro e conscientizar a populaçãoNo Brasil há o “Programa Nacional de Controle do Tabagismo” que é desenvolvido, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que tem por finalidade a prevenção e controle ao tabagismo. Fumar torna-se hábito e desinvestir dele é um exercício de determinação e coragem, que muitas vezes solitariamente, o indivíduo terá dificuldades em controlar.

A ajuda efetiva para o tratamento, para cessar o hábito de fumar, deve ser composta de uma equipe multiprofissional, ou seja, médico, psicólogo, nutricionista, assistente social, fisioterapeuta e educador físico.
O trabalho em grupo impõe um olhar integral e biopsicossocial ao indivíduo, podendo acolher sua história de vida e dificuldades a fim de auxiliá-los e, em conjunto elaborarmos as intervenções necessárias. Ressalta-se que é preciso avaliar o grau de dependência química, ou seja, o quanto está dependente da nicotina, e psicológica do indivíduo para tratá-lo adequadamente.
O grupo deve ter encontros semanais, no primeiro mês, depois quinzenais e conforme adesão ao tratamento e avanço do grupo, esses encontros podem ser mensais. O apoio do grupo deve ocorrer por pelo menos seis meses, pois recaídas são previstas, e o grupo funciona como motivador para reinicio do tratamento.
O objetivo desses programas sempre será, no entanto, reduzir a prevalência de fumantes e a consequente morbi-mortalidade relacionada ao consumo do tabaco. Assim como, educar e informar e promover a cessação do tabagismo e incentivando aos indivíduos qualidade de vida adequada e sadia.
Pare de fumar e ganhe mais saúde e liberdade, além de economizar um bom dinheiro!
O psicólogo é seguramente um dos profissionais que nos contextos de saúde pode contribuir de forma relevante para modificação de um dos comportamentos evitáveis mais mortíferos em termos de saúde pública, haja para isso um investimento e decisões politicas favoráveis que possam dar resposta ás necessidades da população.

Todas as informações e cartilhas de orientação, prevenção e controle do tabagismo encontram-se, detalhadamente, no site do INCA - Ministério da Saúde – Clique aqui para saber mais!



Sobre a autora
Alessandra Santiago (CRP 06/59248) é psicóloga, especialista em psicologia hospitalar, exercendo atividades no Serviço de Cirurgia Vascular do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

Email







Postar um comentário